top of page
Brasil 2029 (18 autores)

O fomento às atividades artísticas e culturais dos associados constitui uma das finalidades institucionais do Instituto Brasileiro de Advocacia Pública.
Já por ocasião de seu 21º Congresso, no qual o grande homenageado foi o romancista Ignácio de Loyola Brandão, pensávamos em novos projetos voltados ao diálogo entre o Direito e a área de Letras — Literatura e Linguística principalmente.
Em 2018, ao término do 22º Congresso Brasileiro de Advocacia Pública, que esteve preponderantemente focado no debate sobre meio ambiente, literatura e direito, o IBAP decidiu organizar, por meio de sua Revista PUB — Diálogos Interdisciplinares, um concurso de contos para que seus associados e outras pessoas interessadas exercitassem seus dotes literários e expressassem artisticamente suas expectativas diante da nova realidade política nacional e internacional.
A patrona escolhida para esse certame literário foi a escritora inglesa Mary Shelley, autora dos livros “Frankenstein ou O Prometeu moderno” e “O último homem” — ambos romances voltados a  questões que continuariam a afligir a humanidade quase dois séculos mais tarde: sua relação com a ciência, a transformação da natureza, o rompimento do elo entre o ser humano e o ciclo de vida no planeta. 
Filha de um importante filósofo e político e de uma precursora do movimento feminista, Mary Shelley foi casada com o poeta Percy B. Shelley e amiga de Lorde Byron. O seu mais famoso romance, Frankenstein, foi, aliás, o fruto de um certame literário, jogo do qual os três amigos e, ainda, John William Polidori, médico de Byron, participaram em 1816, na mansão chamada Villa Diodati, numa aldeia próxima ao Lago Genebra, na Suíça.
O mote do 1º Concurso de Contos da Revista PUB foi “Brasil 2029 — Contos Góticos e Pós-Apocalípticos”. Os contos foram avaliados por uma equipe interdisciplinar formada por Celso Augusto Coccaro Filho, Procurador do Município de S. Paulo e diretor do IBAP; pelos professores de Letras da FFLCH-USP Daniel Ferraz, Elizabeth Harkot de la Taille, Jorge de Almeida e Sandra Guardini Vasconcelos; pelos editores Frederico Marés Tizzot (Editora Arte & Letra) e Roberto Araújo (Editora Europa) e pelos jornalistas, poetas e escritores Franklin Valverde (“Banco de versos”),  Manuel Herzog (“A jaca de cemitério é mais doce”) e Vitor Nuzzi (“Geraldo Vandré: uma canção interrompida”). A coordenação geral dos trabalhos coube a Guilherme Purvin, Procurador do Estado/SP, diretor do IBAP, contista (“Laboratório de Manipulação”) e romancista (“Batalha das Libélulas” e “Queda de Babilônia”), cronista (“Dias simplesmente perfeitos”). Sem a valiosíssima
colaboração voluntária de todos esses profissionais da palavra, não teria sido possível sequer cogitar da realização desta experiência cultural.
Ao longo dos meses de abril, maio e junho deste ano estes profissionais leram e analisaram todos os contos, tendo ao final selecionado os 18 mais bem avaliados, que ora estão sendo publicados, juntamente com um conto intitulado “Posfácio em ritmo de fuga”, preparado pelo organizador do concurso especialmente para esta edição com o objetivo de esclarecer os leitores sobre a  finalidade do lançamento desta coletânea no momento atual.

 

São Paulo, 29 de novembro de 2019

 

José Nuzzi Neto
Presidente do Instituto Brasileiro de Advocacia Pública

 

VOCÊ PODE CONFERIR UMA AMOSTRA DO LIVRO CLICANDO AQUI

 

Formato: 16 x 23 cm

168 páginas

Ilustrações: Gavin Adams

 

PARA COMPRAR ESTE LIVRO EM VERSÃO DIGITAL (PDF) CLIQUE  AQUI

Brasil 2029 (18 autores)

SKU: 978-65-86265-91-0
R$ 58,00Preço
  • Guilherme Purvin (organizador)
    Aldefran Melo da Silva
    Alpha Condeixa Simonetti
    Bruno Pinheiro Ivan
    Denis A. Vaz
    Diego A. Molina
    Gean B. de Moraes
    Georgia Palma Vieira
    Heliel Damascena da Silva Sena
    Jéssica Louise Werner
    Juliana Berlim
    Milene de Almeida Silva
    Nicole Ayres Luz
    Pedro Oswaldo Horta
    Petronio de Tilio Neto
    Rodrigo Vinholo
    Rui Guimarães Vianna
    Silvio Rhatto
    Vanilson Rodrigues Fernandes